capa
Segunda, 29 Outubro 2018 15:00

Os frutos que o balé me proporciona

Hoje gostaria de falar dos frutos que ele me proporciona.
Por Diário do Litoral
De Santos

    Por Carol de Gobbi

    Nos últimos textos contei a história de meu relacionamento mais longo. Mostrei a vocês nossos altos e baixos e todo o ensinamento que ele me proporciona até os dias atuais. Hoje gostaria de falar dos frutos que ele me proporciona.

    Agora nós temos uma casa. Vai fazer um ano que estamos nela. Lugar esse que ressignificou nossa relação, trazendo um novo significado para amor, disciplina, cuidado, carinho, respeito e dedicação. Aqui, no nosso lar, temos nossas crias. Crias mais dele que minha, apenas ajudo a colocar em palavras aquilo que ele não consegue. Crias que me enchem de orgulho ao vê-las crescendo. E fico feliz ao ver que nossa família vai aumentando cada vez mais e que a cada pessoa nova que chega, sente-se acolhida pelas que aqui já se encontram.

    Em novembro, mostraremos ao público tudo o que ensinamos para elas. Nesses últimos meses, temos visto o esforço e dedicação de cada uma para conseguir mostrar tudo o que aprenderam. E eu tenho certeza que farão o melhor delas e o deixarão muito orgulhoso.

    Para quem não se lembra, o meu relacionamento é com o Ballet Clássico. Vinte e cinco anos de muita convivência, experiência e aprendizados. Em novembro do ano passado, depois de quatro anos dando aulas em outros lugares, abri minha própria escola de dança a Com Passos – Núcleo Artístico na cidade de Santos.

    Algumas de minhas alunas continuaram comigo, outras pararam e outras chegaram e chegarão. Nesse novembro faremos nossa primeira apresentação de final de ano e o tema não poderia ser outro: o sonho em ser artista. Nesse espetáculo, mostraremos tudo o que a dança nos ensinou ao longo desse tempo de convívio e, com toda certeza, encantaremos a todos vocês que irão nos assistir. Dia dez de novembro no teatro Guarany, primeira sessão às 17h e segunda sessão às 20h, ingressos à venda na escola (Rua Alexandre Martins, 71, cj 1 – Santos).

    Agradeço a todos que acompanharam meus textos e sintam-se convidados a virem conhecer nosso lar.